Templos Budistas em Três Coroas, RS

O local:

Fundado em 1995, pelo mestre tibetano Chagdud Tulku Rinpoche, o Templo Khadro Ling é a principal atração do pequeno município de Três Coroas, localizado na região do Vale do Paranhana, às margens da rodovia RS-115. O templo é aberto à visitação e é zelado por moradores da comunidade local.

Onde fica:

A cidade pode ser acessada pela RS-115 e tem Gramado ao norte e Igrejinha ao sul. Este trecho possui pedágio. A RS-020 também é uma opção para quem vem de São Francisco de Paula ou da cidade de Taquara.  Já o acesso ao Templo Khadro Ling se dá pela Rua Pastor Ross e depois pela Rua Águas Brancas, à esquerda de quem segue no sentido Gramado a Três Coroas, pela RS-115, lembrando que o centro da cidade fica à direita.
Centro de Três Coroas, Vale do Paranhana, RS

O que fazer:

Após descermos a serra de Gramado, entramos na cidade de Três Coroas, onde almoçamos em uma excelente churrascaria, com atendentes cordiais e o almoço barato para os padrões de uma cidade turística. À tarde, partimos em direção ao templo, que fica no topo do morro mais alto da cidade. São cerca de 8 quilômetros por uma estrada estreita, íngreme e cheia de curvas, porém, parcialmente pavimentada. Ao chegarmos ao nosso destino, ficamos um pouco decepcionados, pois começou a garoar e a névoa cobriu parcialmente as belíssimas e imponentes edificações orientais. Antes de iniciarmos a visita, fomos convidados a entrar em uma sala e assistir a um filme de aproximadamente 15 minutos, que conta, de forma breve, a história do templo budista, seu precursor e o motivo da escolha da cidade de Três Coroas para construí-lo, além de contar um pouco sobre a filosofia budista. Fomos orientados a assistir até o fim, para compreendermos cada parte do templo. Mesmo com a explicação, placas indicam, em três idiomas, o significado de cada objeto. Na sala a seguir, os grandes cilindros giram sem parar e a cada ciclo, tocam um sino.   
Vale do Paranhana, RS

Dentre os  principais atributos deste estilo de vida estão a simplicidade e o desapego aos bens materiais, tudo em função da busca pela paz de espírito. Ao lado, a Casa das lamparinas é o local onde os visitantes podem interagir com o local, ascendendo lamparinas, que possuem um valor místico de sucumbir com a escuridão da ignorância, segundo a religião Budista.
Casa das Lamparinas, Templos Budistas, RS

A imagem feminina é reverenciada e cultuada pelo Budismo. Nas diversas imagens, os traços femininos ficam evidentes e representam a fertilidade e a capacidade de gerar a vida. 
Imagem feminina referenciada pelo Budismo.

A simplicidade pregada pelos moradores locais contrasta com a riqueza de detalhes que as dependências do templo proporciona. Algumas vezes, esquecemos que o clima estava chuvoso.
Paisagismo encantador no entorno do templo

As bandeiras amarelas são como preces lançadas ao vento.
Paisagismo no entorno do templo

Como havia um retiro espiritual no interior do templo, o mesmo não foi aberto à visitação e acabamos fotografando apenas o seu entorno. Para entrar, o visitante deve retirar os calçados e deixá-los na porta. O clima nebuloso somente deu ao ambiente um ar um pouco mais místico.
Templos Budistas, Vale do Paranhana, RS

Aqui, o visitante não é influenciado a se converter ao Budismo e sequer precisa ser budista para poder meditar no silêncio que paira sobre o local ou até mesmo para fazer parte da comunidade. À medida que íamos visitando cada ambiente, novas histórias surgiam dentre os demais visitantes. 
Templos Budistas, Vale do Paranhana, RS

A visitação segue e o silêncio deve ser mantido. Placas advertem o turista sobre a necessidade do silêncio em local de meditação. A edificação é fiel à arquitetura asiática, rica em detalhes entalhados em madeira e cores intensas, com destaque para o dourado do telhado.
Templos Budistas, Vale do Paranhana, RS

No interior do templo, imagens com cores intensas dividem o espaço com lamparinas a algodão e óleo. 
Templos Budistas, Vale do Paranhana, RS

Enfim, a visita ao templo Khadro Ling, além de ser um excelente passeio de domingo, mostrou ser uma ocasião perfeita para resgatar a paz interior, antes prejudicada pela correria do dia a dia. O silêncio, associado ao belíssimo ambiente montado em plena sintonia com a natureza, é reconfortante e inspirador.
A cidade de Três Coroas também é conhecida pelo turismo de aventura. Para mais informações, acesse o site: http://www.trescoroas.rs.gov.br/turismo-e-servicos/pontos-turisticos
Em nossa página no Facebook, há mais fotos deste passeio. Acesse: https://www.facebook.com/viciadosemestrada/ e confira!


Reserve aqui seu hotel ou pousada:

Booking.com

Posts mais populares

Casa De Bona: cenário de cinema em Farroupilha, RS

Caminhos de Pedra: uma casa na árvore e um café com mirante na Itália brasileira

Tour por Otávio Rocha: História, espumantes e chocolates